Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio são adiados para 2021
24 de março de 2020
Publicada lei que amplia acesso ao Benefício de Prestação Continuada
26 de março de 2020

Ministério da Cidadania ressalta apoio aos atletas após adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e o secretário especial do Esporte, Marcelo Magalhães, manifestaram apoio à decisão tomada nesta terça-feira (24.03) pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) e pelo primeiro ministro do Japão, Abe Shinzo, de adiar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio para 2021. A decisão atende anseios que já haviam sido manifestados por entidades como o Comitê Olímpico do Brasil (COB), o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC), confederações esportivas e atletas olímpicos e paralímpicos.

Segundo o ministro Onyx Lorenzoni, os programas Bolsa Atleta e Bolsa Pódio continuarão a ser pagos normalmente e a pasta estuda formas de adaptar os termos da prestação de contas dos benefícios para se ajustar à realidade desse período em que os efeitos da COVID-19 alteram a rotina de competições e treinamentos dos atletas.

“O programa Bolsa Atleta, para o governo Bolsonaro, é uma permanente ferramenta de formação e aprimoramento de atletas brasileiros, independentemente de seu nível. Será sempre mantido e ampliado”, disse Lorenzoni. “Por tudo o que significam para nossa sociedade, por defenderem e levarem o nome do Brasil aos pódios mundo afora e por serem exemplos para nossas crianças e jovens, nossos atletas merecem todo o apoio, e a saúde dos brasileiros, atletas ou não, é sempre nossa prioridade”, completou.

“Os efeitos da pandemia do COVID-19 estão sendo sentidos em vários países, e os atletas sofreram impacto. Competições de modalidades olímpicas e paralímpicas foram canceladas nos circuitos internacionais e, ao seguirem as recomendações de isolamento social da Organização Mundial da Saúde (OMS), os atletas ficaram impedidos de treinar e de se preparar adequadamente para um evento da magnitude dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos”, afirmou Marcelo Magalhães. De acordo com o secretário, a realização dos Jogos de Tóquio representará uma celebração ainda mais especial do que as Olimpíadas e as Paralimpíadas já são usualmente para a humanidade. “No momento em que a pira olímpica for acesa na Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o mundo estará reunido no Japão para celebrar a vitória de todos os países também contra esse desafio no campo da saúde”.

Ascom – Ministério da Cidadania