Projeto de Lei vai atualizar legislação da meia-entrada em espetáculos e eventos
16 de julho de 2021
´Inclusão da Pessoa com Deficiência em Cena: Transformando o Conhecimento em Ação´ é o tema do Webinário no mês de agosto
28 de julho de 2021

Desafio da Tocha Olímpica premia escolas da rede pública de todo o Brasil

The Olympic torches of the Tokyo 2020 Olympic Games are displayed during a press conference in Tokyo Wednesday, March 20, 2019. The Tokyo Olympics open on July 24, 2020. (AP Photo/Eugene Hoshiko)

Professores e alunos construirão a tocha com materiais alternativos para realizar um revezamento presencial ou virtual e ainda concorrer a prêmios

Às vésperas dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o principal evento esportivo do mundo, o desafio do Revezamento da Tocha convida professores e alunos de escolas públicas de todo o Brasil a gravarem um vídeo fazendo um revezamento presencial ou virtual da sua própria versão da tocha Olímpica. A iniciativa é do Impulsiona – programa do Instituto Península que já capacitou mais de 150 mil professores de Educação Física desde 2017 – e recebe inscrições até o dia 16 de agosto.

Para produzir a tocha, um dos mais importantes símbolos Olímpicos, as escolas devem utilizar materiais alternativos ou recicláveis, fáceis de serem encontrados em casa. Todo material é válido para a composição do projeto, exceto utilizar fogo de verdade, por medidas de segurança. “Queremos aproveitar as Olimpíadas para estimular o trabalho em sala de aula de valores éticos e sociais positivos, especialmente porque o esporte é uma ferramenta educacional importante para crianças e jovens. A construção da tocha promove habilidades como protagonismo juvenil, trabalho em equipe, sustentabilidade e cultura maker”, explica Vanderson Berbat, diretor do Impulsiona.

A sugestão é que os professores e alunos abusem da criatividade para trazer no design da tocha Olímpica aspectos marcantes da cidade-sede, conforme a tradição olímpica desde 1936. Este ano, por exemplo, o conceito da tocha oficial é inspirado na flor de cerejeira sakura, a mais conhecida do Japão; já nos jogos realizados no Rio de Janeiro em 2016, os detalhes da tocha representavam desde o calçadão de Copacabana até as montanhas e o mar característicos da cidade. “A ideia é valorizar a diversidade cultural das escolas brasileiras. O desafio pode ser realizado de forma interdisciplinar. Liderado, por exemplo, pelo professor de Educação Física, mas com o apoio de disciplinas como Artes e História”, alerta Vanderson.

Além de produzir a tocha, as escolas devem gravar um vídeo fazendo o revezamento para participar do desafio. Aquelas que já voltaram ao ensino presencial deverão respeitar os protocolos de prevenção do Covid-19. No ensino remoto, cada aluno deverá criar a tocha em sua casa, de acordo com o modelo definido pela turma, e simular a passagem para seus colegas no vídeo. A banca de jurados avaliará os projetos a partir de 17 de agosto e, em 5 de setembro, o Impulsiona anunciará as três escolas vencedoras, que ganharão como prêmios: um kit com materiais esportivos, uma palestra com um atleta Olímpico ou Paralímpico, um smartphone e um tripé de iluminação para o professor que liderar o projeto. Mais detalhes sobre o desafio e o regulamento estão disponíveis no site do Revezamento da Tocha: https://time.impulsiona.org.br/desafio-tocha

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support